As mesmas redes sociais que ajudaram a eleger Bolsonaro vão contribuir com a queda dele?

Publicado em 26/03/2019
Palavras-chaves: , , , ,

Não tão distante, nas últimas eleições, pudemos conferir de perto o poder das redes sociais no processo eleitoral. Elas foram utilizadas não só para atrair a atenção dos eleitores, mas também para atacar oponentes, criar notícias falsas, disseminar o ódio, entre outros.

Vários movimentos surgiram. Cada grupo tinha seus pensamentos e ações voltadas para eleger seu representante. Enxergaram as redes sociais como ferramenta fundamental para influenciar nas eleições. Viram como prova disso a eleição de Trump em 2016.

Eles não erraram! As redes sociais foram decisivas nas eleições de 2018. As Fake News só aumentaram e o controle das mesmas não foi possível.

Mas você deve estar se perguntando: “o que tem a ver o uso dessas ferramentas com a queda de um governo que mal começou?”.

Preste atenção para o seguinte fato: você acha mesmo que, depois da vitória, o grupo da base do governo Jair Bolsonaro está utilizando as redes sociais da maneira correta?

Veja o comportamento dos filhos do presidente empossado no dia 1 de janeiro de 2019 e faça uma análise sem paixão. A questão é outra, agora a falta de habilidade para usar as redes sociais pegou também de jeito os aliados do governo.

A mais nova foi a troca de farpas entre Joice Hasselmann (PSL-SP), e o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), líder do MBL (Movimento Brasil Livre), ex-aliados durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff, eles bateram boca por causa da articulação política do governo (ou falta dela).

O clima pesou no Twitter, com direito a Joice sugerir que Kim, 23, “pegue a chupeta e vá nanar”. O deputado twitou que Joice poderia querer seguir Carluxo, apelido de um dos filhos do presidente, e afundar o governo no Twitter também. Ele critica a articulação do governo e diz que a reforma da Previdência morreu.

E se o “menino” de 23 anos estiver correto e a tal reforma não passar no Congresso, como ficarão o Presidente Jair Bolsonaro e seu guru Paulo Guedes, homens que prometeram entregar tudo e até agora ou tão cedo entregarão nada?

A rede social estaria disposta a tirar as pessoas que entraram no Planalto com o grande empurrão dado por ela?

A internet é realmente implacável com aqueles que não sabem usá-la. Ao mesmo tempo em que fortalece um líder, pode derrubar o mesmo em fração de segundos.

Resta-nos apenas torcer para que tudo dê certo e não caiamos mais uma vez no “poço sem fim” da velha política do toma lá dá cá.

Fred Abobreira, publicitário especialista em marketing digital.

Deixe uma resposta

Newsletter:
Assine e receba nossas notícias no seu e-mail:

REDES SOCIAIS: